Veja como é feita a produção de leite de vaca orgânico

Image result for leite organico

Produzir alimentos preservando o meio ambiente não é tarefa fácil para o produtor. E se ele vive em um lugar onde a natureza põe a prova a resistência de homens, plantas e animais, a tarefa vira um desafio. Mas em Alagoas, temos um exemplo exato disso que estamos falando. Lá uma família está produzindo leite orgânico em plena Caatinga, tudo certificado pelo IBD – Instituto Bio Dinâmico.

Em Cacimbinhas – AL, o agrônomo, Osmando Xavier e sua família, produzem leite orgânico há 13 anos. Todas as terras ao redor do açude próximo a fazenda da família, são de criação de gado de leite, mas é grande a diferença entre os produtores. Em uma das margens ficam fazendas de criação de gado no sistema convencional, existem poucas árvores e o gado chega até a água do açude. Já do outro lado, fica a fazenda da família do Osmando, a mata está toda preservada formando um paredão verde.

A preocupação com a alimentação dos animais é constante, pois a fazenda se localiza no meio da Caatinga. No período de chuvas, no inverno nordestino, o pasto fica sempre verde, parece que nunca vai acabar. Mas o sertanejo já acostumado com meses e meses de seca, é prevenido e a família Xavier armazena alimento produzido na fazenda para os gados. A fazenda estoca 1,8 milhão de Kg de silagem e 50 mil Kg de feno de pasto nativo.

“Nós trabalhamos com uma estratégia de ter sempre uma reserva alimentar para que em um ano muito seco, nós já tenhamos feito a comida necessária para o ano seguinte”, diz Osmando. A família possui um rebanho de 500 animais. Em uma criação orgânica, apenas 5% do alimento pode vir de fora, desde que seja sem transgênicos. Os animais em lactação por exemplos, recebem o reforço do caroço de algodão e do sal mineral feito para produção orgânica. Ao sinal de qualquer doença são tratados com remédios a base de plantas. Um dos tratamentos comuns é contra o carrapato, um dos ingredientes principais é calda de fumo. Quando a doença é mais grave ou persistente, podem ser usados tratamentos convencionais, desde que sejam seguidas algumas regras. No máximo o animal pode ser tratado 3 vezes durante sua vida da forma tradicional, quando acontece o terceiro tratamento, é recomendado que se venda aquele animal. Duas vezes ao dia, as vacas são reunidas para a ordenha, enquanto elas esperam, elas bebem água a vontade que gera um grande bem-estar para as vacas. Antes da ordenha, são coletadas amostras de leite. As garrafinhas com o nome de cada vaca, seguem para o teste de acidez. Se a acidez estiver abaixo do pH 7, esse leite é descartado. Quando a vaca é aprovada ela vai para uma ordenha mecânica, mas antes é feito o teste da caneca para detectar casos de mamite. As vacas que não passaram no teste de acidez e foram diagnosticadas com mamite, vão para um outro cercado onde elas irão ser ordenhadas manualmente e medicadas. A produção da fazenda é de 1800 litros diários, uma média de 13 litros produzidos por vaca. 40% desse leite é considerado orgânico e 60% desse leite é vendido na linha convencional. Isso acontece porque o mercado ainda não assimilou os 100% do leite produzido orgânico. Segundo Osmando, é triste rotular um leite orgânico como convencional. O leite orgânico sai da fábrica na forma de leite in natura, manteiga e iogurte. A fazenda tem sua própria linha de produtos a base de leite orgânico e utilizam 25 mil litros de leite para essa produção. Os produtos são vendidos apenas na capital Alagoana. Os produtos são entregues para distribuidores e supermercados. Descontado todos os gastos que a família tem com a produção, o lucro fica em torno de R$ 200 mil por ano. Conheça mais detalhes da produção de alimentos orgânicos.