O início da presidência de Luiz Carlos Trabuco, do Banco Bradesco

Quando o quarto presidente da história do Banco Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, assumiu o cargo, em março de 2009, o momento não era dos mais propícios – visto que, a instituição havia acabado de perder a liderança de mercado. Contudo, quando alcançou a presidência, o executivo declarou – “A liderança em si não é um objetivo[…] Nosso objetivo é fazer o melhor trabalho nos municípios que atendemos ”.

Apesar da resposta cautelosa à situação, Luiz Carlos Trabuco – seis anos depois, em agosto de 2015 – não perdeu a oportunidade de executar uma de suas cartadas mais ousadas no comando da empresa – a compra da filial brasileira do HSBC por US$ 5,2 bilhões. Foi o que colocou o Banco de volta na briga pelas primeiras colocações no ranking.

“Com o HSBC, conquistamos de uma vez o que demoraríamos cerca de seis anos para obter por meio do crescimento orgânico [ou seja, a melhora do desempenho interno da empresa]”, destacou o presidente do Bradesco.

O lance ousado de Trabuco no comando da companhia também rendeu a ele o título de Empreendedor do Ano nas Finanças pela ISTOÉ Dinheiro – uma revista brasileira de economia e negócios publicada pela Editora Três.

Conheça a trajetória do empresário

Longos 48 anos de Banco Bradesco é o que soma o executivo que nasceu no município de Marília (SP) – mesma cidade de origem do Banco – no dia 6 de outubro de 1951.  Luiz Carlos Trabuco formou-se em filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FLCH–USP) e fez pós-graduação em Sócio psicologia na Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP).

Foi em 1969, com apenas 18 anos, que o, hoje, presidente chegou na companhia bancária e, ao decorrer dos anos, passou por todos os escalões de hierarquia. Começou como escriturário, passou também por áreas como previdência privada e marketing e, em 1999, aos 47 anos de idade, foi promovido a vice-presidente da empresa. De 2003 a 2009, Luiz Carlos Trabuco destacou-se também como chefe do Bradesco Seguros.

Depois de eleito à presidência do Banco, uma das primeiras ações do executivo foi a criação de uma universidade corporativa. Ele deu início a um processo de renovação dos quadros de liderança, conversando com profissionais de todos os patamares da instituição.

Também foram estabelecidos pelo atual presidente, rituais para dar autonomia aos que eram promovidos – reunidos no Salão Nobre da instituição, eles recebiam o direito da palavra. No entanto, já avisados pelo executivo de que “quem recebe o microfone deve ter o que falar, passar uma mensagem, vocalizar posicionamentos, uma estratégia e um plano de ação”.

Para o Bradesco, desde que assumiu o cargo mais alto da empresa, Luiz Carlos Trabuco sempre buscou renovação – esta, baseada na procura por profissionais do mercado.  O diretor-executivo responsável pelo Bradesco BBI, Renato Ejnisman, que atuou no Bank of America e BankBoston, é um exemplo disso.