Levantamento mostra elevação no faturamento de e-commerce no país

O e-commerce brasileiro vem se mostrado um mercado promissor e uma alternativa interessante para empreender no ramo do varejo. Ultimamente, tem sido feitos vários tipos de estudos que acompanham o crescimento do comércio online no país, as faixas etárias dos principais consumidores, suas preferências, entre outros tópicos relevantes.

De acordo com dados retirados do relatório Webshoppers feito pela consultoria da Ebit (empresa pioneira em fornecer informações por meio de pesquisas relacionadas ao e-commerce), o comércio virtual brasileiro registrou faturamento de R$21 bilhões no primeiro semestre de 2017, cerca de 7,5% a mais do que o mesmo período de 2016. Ainda segundo as informações divulgadas, esta foi a primeira vez que o comércio online do país superou os 50 milhões de pedidos. Nos primeiros seis meses deste ano, o número de pedidos efetivados foi de 50,3 milhões.

Para o presidente da Ebit, Pedro Guasti, a diminuição dos preços, deflação de aproximadamente 5,38% mensurada pelo FIPE Buscapé entre os meses de junho de 2016 a junho de 2017, foi responsável por ajudar na elevação das vendas online.

O levantamento também revelou o crescimento nas vendas realizadas via smartphones registrando aumento de 35,9% em pedidos e 56,2% em faturamento. O Ebit estima que o comércio virtual cresça mais 10% até o final de 2017 sobre os quase 26 milhões de consumidores do varejo online que compraram no primeiro semestre.

Liderando o número de pedidos realizados estão os segmentos de moda (14,8%), saúde (12,2%) e casa (10,6%). Já em relação ao faturamento, os setores que receberam maior destaque foram telefonia/celulares (22,3%), eletrodomésticos (18,8%) e eletrônicos (9,6%).

Conforme os dados fornecidos através de levantamento recente efetuado pelo Euromonitor International (líder em pesquisas estratégicas voltadas ao mercado consumidor) o e-commerce mundial varejista alcançou cerca de US$1,16 trilhão em 2017, sendo o Brasil responsável por 0,89% deste total registrado.

Entender o perfil dos clientes, investir na agilidade de respostas do site, oferecer recomendações personalizadas e proporcionar facilidade na navegação da loja virtual são fatores imprescindíveis para quem quer se manter competitivo no mercado online.