Faturamento da Fibria no Mato Grosso do Sul é de 7,3 milhões

A fábrica de celulose branqueada de eucalipto, a Fibria, deu início as suas atividades 3 semanas antes do previsto nas fábricas de celulose em Horizonte 2 e Três Lagoas. Essa é a segunda unidade da companhia, que investiu 7,3 bilhões em tecnologias de última geração no primeiro viveiro de mudas de eucalipto 100% automatizado no mundo. A inserção de caminhões de 50 metros de comprimento, que transitam internamente nas áreas da fábrica, também foi um investimento que ajudou a dobrar a capacidade de transporte da matéria prima até a fábrica.

O complexo de Três Lagoas, com o início das atividades da H2, é considerada a maior fábrica de celulose de eucalipto branqueada no mundo todo, com uma capacidade de produção 3,25 milhões de toneladas. Os balanços financeiros da companhia consideram a construção de uma terceira unidade da fábrica, porém ainda não existe projeto para isso. As fábricas juntas têm capacidade de 7,25 milhões de toneladas na produção de celulose.

De acordo com Julio Cunha, diretor de engenharia da Fibria, a previsão é de 377 mil toneladas de celulose branqueada até o final de 2017. A previsão da produção total em 2020 é de 1,9 milhão de toneladas, que serão mantidas até o ano de 2022.

Todo o volume produzido será transportado pelo modal ferroviário, partindo do Terminal Intermodal, que está em construção em Aparecida do Taboado, interligada com a Ferrovia Norte-Sul. A produção irá pela ferrovia até o Terminal de Macuco, no Porto de Santos.

Para atender as fábricas em Mato Grosso do Sul, a Fibria calcula a necessidade de uma área de 308 mil hectares de floresta de eucalipto, sendo desse total, 121 mil hectares já estão sendo cultivadas para atender a demanda. Outros 187 mil hectares são cultivados como matéria-prima para H2. As florestas têm instalações com 100 quilômetros de distância das fábricas.

O plantio tem previsão de conclusão no início de 2018, sendo plantadas 6 árvores por segundo, em mosaico integrado às florestas nativas nas regiões de eucalipto. A companhia disse incentivar os parceiros na integração pecuária-floresta, porém não pode interferir na decisão que deve partir do produtor