Brasil criou mais de 35 mil empregos em fevereiro, Marcio Alaor reporta dados

mercado de trabalho no Brasil voltou a apresentar dados positivos em fevereiro. Todavia, mesmo com as mais de 35 mil vagas de emprego abertas no segundo mês de 2017, o número de desempregados no país ainda é extremamente elevado.

A crise econômica vivida pelo Brasil nos últimos anos tem alguns “componentes” que ganham grande destaque, sendo que o desemprego é um dos principais. Segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) na segunda quinzena de fevereiro, ao final do mês de janeiro, o país tinha quase 13 milhões de pessoas desempregadas. Porém, como reporta o vice-presidente do Banco BMG, Marcio Alaor, no segundo mês de 2017, o mercado de trabalho voltou a apresentar números positivos.

De acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados na quinta-feira, dia 16 de março, em fevereiro, pela primeira vez nos últimos 22 meses, o número de pessoas contratadas foi superior à quantidade de novos desocupados. Nesse sentido, o executivo do BMG, Marcio Alaor, informa que a última vez em que as admissões tinham superado as demissões foi ainda em março de 2015, quando o Brasil gerou 19.282 empregos formais.

O empresário ressalta que, para chegar aos números mensais relativos ao mercado de trabalho, o Caged considera os números de contratações e desvinculações referentes aos empregos com carteira assinada em todo o país. Desse modo, em fevereiro, houve um saldo positivo de 35.612 postos de trabalho. O total de admissões foi de 1.250.831, enquanto 1.215.219 pessoas perderam seus empregos.

Além de ter apresentado o primeiro dado mensal positivo em quase dois anos, fevereiro também representou um grande ganho em relação ao mês anterior e também na comparação com o mesmo período de 2016. Em janeiro deste ano, de acordo com o próprio Caged, o Brasil perdeu 40.864 vagas formais de trabalho, noticia Marcio Alaor do BMG. Já em fevereiro de 2016, o executivo do BMG informa que foram gerados 104.582 empregos com carteira assinada a menos que a quantidade de contratações.

No entanto, na comparação entre fevereiro deste ano e o mesmo período de 2016, o total de brasileiros formalmente empregados apresentou um grande recuo. Isso se deve ao fato de o saldo total do mercado de trabalho no ano passado ter sido bastante negativo. Levando-se em conta os 12 meses, foram fechados mais de 1,3 milhão de vagas de trabalho.

Enquanto no segundo mês de 2016 haviam 39,6 milhões de brasileiros formalmente empregados, em fevereiro de 2017 este número caiu para 38,3 milhões. Ou seja, mesmo com o saldo positivo no segundo mês deste ano, o total de vagas fechadas nos últimos 12 meses continua em torno de 1,3 milhão, cita o empresário Marcio Alaor, do Banco BMG.

Em relação às vagas criadas em fevereiro, o setor de serviços foi o que apresentou o melhor resultado, com um total de 50.613 admissões a mais que demissões. A administração pública obteve o segundo melhor saldo positivo, tendo aberto 8.280 postos de trabalho. Os setores com os piores números foram o comércio, que teve 21.194 demissões a mais que as contratações, e a construção civil, que perdeu um total de 12.857 vagas de emprego com carteira assinada.

Para concluir, executivo do Banco BMG, Marcio Alaor, reporta que todos esses dados se referem exclusivamente aos empregos formais. Ou seja, como o mercado informal também é bastante amplo, é natural que existam algumas disparidades em relação a esses números quando os dois mercados são levados em conta.