Saiba a importância de um gateway na realização de pagamentos em um e-commerce

Image result for e-commerce

Para os empresários envolvidos no mundo do e-commerce, ter acesso a um gateway que seja bom para pagamentos é uma das principais características que o colocarão diante do sucesso. Isso acontece principalmente em empresas que dispõe de um volume médio ou grande de vendas todos os meses.

As lojas virtuais necessitam de cuidados diferentes das lojas físicas em certos pontos. No caso dos negócios e-commerce, oferecer para o cliente uma página voltada para o pagamento dos produtos adquiridos no site é fundamental.

Um dos pontos que favorecem isso para os negócios e-commerce é a disposição de um gateway voltado para os pagamentos. Quando o empresário se encontra em meio a um grande volume de vendas realizadas, esse é um fator que deve ser levado com mais importância.

O gateway tem o poder de conectar as lojas com bancos e instituições financeiras com o que a tecnologia dispõe de mais moderno. É uma ferramenta extremamente importante e pode ser comparada a uma máquina de cartão em termos de importância para um negócio e-commerce.

Em vista disso, o CEO da MundiPagg, João Barcelos, indica quais são os principais critérios para escolha de um gateway.

A compatibilidade é fundamental. O empreendedor deverá se certificar de que o gateway escolhido por ele é compatível com a plataforma virtual utilizada por ele.

A integração que esse gateway terá com a internet de um modo geral é muito importante, assim como a compatibilidade da plataforma. É importante que todos os serviços oferecidos estejam integrados com o gateway

Os recursos oferecidos pelo gateway devem ser para facilitar o acesso de pagamento junto ao site. As informações disponíveis para o cliente devem ser fidedignas.

A segurança é extremamente fundamental. Ela deve se enquadrar nas exigências de padrões internacionais, com a certificação PCI-DSS inclusa.

Se antecipar em relação as fraudes é um ponto de destaque. Mesmo que essa não seja uma responsabilidade voltada para o gateway, hoje já é possível encontrar gateways que oferecem recursos contra fraudes aplicadas no mercado.

O suporte deve ser constante. O suporte técnico deve ser efetivo para encontrar e corrigir problemas.

O custo-benefício tem que estar de acordo com a disponibilidade do empresário de contratar tal serviço. É importante frisar que esse valor sofrerá variações nas taxas ou kick off

Dono de longa jornada, Luiz Carlos Trabuco imprime seu estilo na presidência do Bradesco

Com grande parte de seus esforços voltados à melhoria do atendimento ao cliente, Luiz Carlos Trabuco deu início ao seu trabalho na presidência do Bradesco. Dessa forma, não se preocupou em assumir qualquer liderança de mercado. Apesar disso, negócios de grande porte começaram a ser consolidados a partir de sua gestão frente ao banco, de modo que em um deles o executivo chamou atenção das outras instituições que compõem o segmento, uma vez que um alto valor foi empregado para que ocorresse.

A grande negociação que teve como intermediário Luiz Carlos Trabuco, contudo, tratava-se de uma empresa oriunda de um de seus concorrentes bancários. Para que a compra fosse finalmente efetivada, o banco desembolsou aproximadamente 5 bilhões de dólares. O investimento vultoso demandado, entretanto, começou a gerar bons resultados logo após sua aplicação, pois a instituição começou a notar que os clientes passaram a utilizar uma maior quantidade dos serviços disponibilizados. Empréstimos e depósitos são exemplos de produtos que começaram a ser procurados com mais frequência pelos clientes do Bradesco.

O presidente do banco, Luiz Carlos Trabuco, nasceu exatamente na mesma localidade onde o banco adotou para abrir sua agência inicial. Em Marília, assim que terminou o equivalente ao ensino médio atual, ele foi procurar emprego justamente no banco onde atualmente é presidente. Sua contratação, no entanto, foi para a função de escriturário. Conciliando trabalho com estudos, conseguiu concluir sua graduação na USP (Universidade de São Paulo), onde optou por frequentar a faculdade de Filosofia, Ciência e Letras.

Para que conseguisse atingir o posto mais disputado da presidência, o executivo teve de trabalhar em diversos setores da organização, trajeto este trilhado pela maioria dos colaboradores que alcançaram o mesmo intento. Trabalhando no banco por muitas décadas ininterruptas, o agora presidente teve sua carreira valorizada quando de sua gestão no segmento de seguros que a instituição possui, já que ocasionou importante lucratividade para toda a corporação.

Como presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco começou a colocar em prática algo que já planejava por muito tempo: a construção de uma universidade voltada à formação de profissionais que pudessem exercer funções executivas. Além disso, ele adota uma forma própria de lidar com as novas promoções, pois prefere ter contato direto com cada colaborador que esteja em situação de ser promovido, uma vez que acredita na importância de se conversar com todos.

Durante muitos anos a instituição optou por promover apenas os funcionários já presentes em seu quadro de pessoal, prática que foi alterada por Luiz Carlos Trabuco, dada sua busca por colaboradores que não integrassem a empresa. O executivo Renato Ejnisman foi um dos que conseguiram ingressar na organização de maneira não convencional e hoje responde por uma área estratégica dentro da corporação. Embora o cargo de presidente possa transparecer o de um líder que apenas dê ordens aos seus subordinados, tal perfil não se encaixa ao gestor máximo do banco, pois sua agenda está sempre repleta de compromissos que ultrapassam até mesmo a carga horária adotada como padrão para quem ocupa tal posição.

 

Empresa que atuava com assistência técnica aposta em formação de profissionais

Com a crise econômica, muitas empresas passaram por mudanças drásticas, inclusive no que diz respeito aos objetivos do negócio. Esse foi o caso de um negócio que começou com o objetivo de prestar serviços de assistência técnica de celulares. A empresa que era administrada por Kleber Mazzei e seu irmão Kevin, funcionou por quase quatro anos apenas como assistência técnica, até que em 2013 houve uma grande escassez de profissionais que pudessem atuar na área.

A empresa enfrentou o obstáculo de não ter mão de obra qualificada para contratar, então surgiu a grande ideia que reformulou todo o setor de trabalho da empresa, os empresários decidiram que iriam qualificar profissionais para atuar no setor de assistência técnica de celulares.

Sendo assim, a empresa mudou o objetivo que era assistência técnica para formação de profissionais voltados para a área técnica. Atualmente, a empresa que se chama KM Multi já consegue se manter no mercado e arrecadar mais da metade de sua receita através dos cursos ministrados. Os empresários revelaram que 65% de toda a receita da empresa é conquistada mensalmente através dos cursos.

O empresário Kleber disse sobre a necessidade de um curso de qualificação profissional: “Tem muita gente que conserta celular e nunca fez curso, que aprende vendo vídeos. Mas tem coisa que só se aprende na aula prática”.

Aos 31 anos de idade, o empresário Kleber que é formado em recursos humanos, administra a empresa KM Multi e atua no gerenciamento de marketing. Já seu irmão Kevin de 24 anos, que é técnico em eletrônica, atua na empresa na parte operacional para concertar os aparelhos que precisam de assistência e para formar os futuros profissionais para a área.

Quando a empresa começou a funcionar em 2009, apenas os dois empresários atuavam na assistência técnica de celulares. A partir de 2013 a empresa passou a empregar outros cinco funcionários, sendo eles dois professores, dois técnicos e um atendente.

O investimento inicial feito pelos empresários foi de R$ 10 mil para abrir o negócio de assistência técnica. Mas tiveram que investir 30 vezes mais para montar a escola de cursos, um total de R$ 300 mil. Contudo, atualmente a empresa já fatura R$ 80 mil todo mês com as mudanças realizadas, o que indica um crescimento de 16% já sentido no ano de 2016.

Conheça mais sobre a vida e a carreira bem-sucedida de José Auriemo Neto

José Auriemo Neto já se destaca desde a infância como sendo uma criança precoce, que começou a andar e a falar bem antes das outras. Em sua vida adulta, o empresário também pode ser descrito como precoce, tendo em vista que assumiu o comando da empresa de sua família, a incorporadora JHSF, com menos de 30 anos de idade, em substituição ao pai, Fábio Auriemo.

Enquanto jovem, José Auriemo Neto acumulou experiências internacionais que foram importantes para a sua formação global e pluralista, incluindo a ocasião em que participou da Convivência Internacional de Jovens, realizada no Japão, a oportunidade em que jogou em um time da Noruega, e ainda a vez em que praticou a modalidade do hipismo com o reconhecido treinador Nelson Pessoa Filho.

Aos 17 anos, Zeco, como é chamado pelos amigos, optou por fazer Engenharia na Faculdade de Engenharia de São Paulo, porém, durante o quarto ano do curso, ele decidiu que não era essa a profissão que gostaria de exercer e trancou a faculdade. A partir de então, ele passou a acompanhar o pai na empresa da família, se tornando o administrador dos negócios alguns anos depois.

Anos antes, a JHSF havia adotado uma mudança em sua postura de mercado, passando a investir no segmento da incorporação imobiliária, uma decisão que elevou a empresa ao patamar das maiores do Brasil nessa área. A princípio, a empresa se dedicou a incorporação de prédios comerciais, mas em pouco tempo, já avançou para a incorporação de shopping centers, como é o caso do Shopping Metrô Santa Cruz e o Shopping Metrô Tucuruvi, ambos na Grande São Paulo.

Após chegar ao cargo de presidente da incorporadora, José Auriemo Neto também investiu em peso na área da incorporação de luxo, que crescia de forma impressionante na época. Nessa linha de mercado, o projeto mais ambicioso da JHSF foi o Parque Cidade Jardim, um gigantesco complexo de luxo construído na Marginal Pinheiros, uma região vista por muitos especialistas como inadequada para um projeto dessa magnitude.

Ciente das opiniões adversas, José Auriemo Neto apostou na ideia e não desistiu no projeto, que demorou anos a ser concluído e exigiu um árduo trabalho em equipe por parte de todos os funcionários e associados da JHSF. Construído em uma área de mais de 80 mil metros quadrados, o luxuoso complexo imobiliário é formado por um grande shopping center com mais de 150 lojas, edifícios residenciais, prédios comerciais, academias, restaurantes de luxo e uma sede do hotel Fasano. Depois de finalizado, o Parque Cidade Jardim foi um grande sucesso para a empresa, com unidades vendidas e alugadas em tempo recorde.

Em conjunto ao sucesso na vida profissional, José Auriemo Neto também leva uma vida plena no lado pessoal, tendo se casado há anos com a administradora Mariana Landmann Auriemo, com quem tem um casal de filhos, Antônio e Olivia. Nas horas vagas, além de dedicar seu tempo a família, o executivo também gosta de praticar golfe, um hobby que ele passou a apreciar depois de adulto.