Existem negócios com baixo investimento?

Resultado de imagem para Existem negócios com baixo investimento?

negócio, mas não seguem a diante com a ideia por não terem muito dinheiro para investir.

Embora existam maneiras simples para conseguir uma boa quantia, como empréstimos ou crowfnding, é possível escolher empreendimentos mais baratos.

É necessário lembrar que qualquer negócio, independente do porte, envolverá certos gastos. Tanto para as estratégias de marketing, quanto para a implantação, por isso é imprescindível realizar um bom plano de negócios.

Ao escolher o produto ou serviço, é necessário contabilizar os gastos de produção e manutenção.

Algumas ideias de negócios que podem ser iniciados com um baixo custo e/ou um custo médio são, por exemplo, criações próprias, ganhando dinheiro com hobbies ou atividades que você já prática. Caso você pinte, faça doces ou salgados, ou outra atividade parecida, é possível vender a produção gastando apenas o material necessário para produzir, fazendo de casa e vendendo através de plataformas gratuitas ou redes sociais.

Os serviços home Office estão em alta, situação em que você pode exercer seu trabalho de casa mesmo e assim economizar dinheiro e poupar tempo. Mas outros trabalhos, até mesmo freelancer, podem ser realizados do conforto do seu lar, como por exemplo, escrevendo textos, criação de material para designer e social media. Hoje em dia existem inclusive sites especializados nestas áreas, que auxiliam na procura por clientes.

Os trabalhos de consertos, assim como os outros citados não necessitam de um ambiente pré-estabelecido e nenhum investimento inicial, senão nas ferramentas utilizadas. É possível trabalhar com consertos domésticos, ou outras opções, que podem ser oferecidas na vizinhança, mas dependem de um investimento maior, como por exemplo, o conserto de roupas, passear com cães ou até mesmo oferecer serviços de beleza em domicilio.

Outra opção viável é a consultoria. Inúmeras pessoas só pensam em empreender após anos de carreira, mas muitas vezes ficam desmotivadas com os fatores que já foram mencionados, e esquecem que com tamanha bagagem profissional, poderiam abrir uma consultoria. Este ramo, embora exija um investimento inicial, é lucrativo, ainda mais se a pessoa utilizar os contatos profissionais estabelecidos durante a carreira.

A revenda é um dos mais antigos empreendimentos e acaba por ser uma atividade simples, a pessoa adquire produtos e os vende novamente, assim é possível representar marcas, ser distribuidor ou atacadista. Todas as ações dependem de um investimento inicial, em diferentes níveis.

E por fim, o microempreendedorismo, cada vez mais em alta nos últimos tempos. Criar um mini-negócio, embora o nome assuste é muito simples, e com a internet ficou ainda mais fácil, é possível trabalhar em apps como a Uber, alugar sua casa em plataformas como o AirBnb, vender textos. As opções são infinitas, para todos os gastos e com um baixo investimento inicial.

Abrir um negócio é possível para todos os bolsos, basta achar um com que você se identifique, fazer um bom planejamento financeiro e um estudo de mercado, além de muita dedicação para o empreendimento prospere.

 

Manaira Shopping de Roberto Santiago mostra que shoppings não foram afetados com a crise

De acordo com um estudo desenvolvido pela Associação Brasileira de Shoppings Centers (Abrasce), no ano de 2015, apesar do cenário de crise, o segmento teve um crescimento de cerca de 6,5% em todo o Brasil. Em termos de faturamento, este foi de aproximadamente R$ 150 bilhões.

No caso da Paraíba, o cenário atual de crise econômica parece não ter afetado os shoppings centers, pois eles permanecem dando bons lucros. Entre os exemplos, é possível citar o Manaira Shopping, do empresário Roberto Santiago, que cresce anualmente em faturamento e volume total de visitantes.

Essa pesquisa, feita pela Abrasce em parceria com o Grupo de Estudos Urbanos (GEU), trouxe boas notícias para o setor em meio a todas as incertezas causadas pelo período de recessão econômica, tendo em vista que indicou o imenso potencial de crescimento desse segmento. O estudo informou também que existem 538 centros de compras em todo o Brasil, e além disso, outros 30 se encontram na fase final de construção, com expectativa de serem abertos aos consumidores em breve.

Ainda segundo o levantamento, o Nordeste é a segunda maior região do Brasil no que diz respeito ao número de vendas feitas pelos shoppings centers, ficando atrás somente da região Sudeste. Na Paraíba, especificamente, o centro de compras de Roberto Santiago é uma das maiores razões desse setor continuar se desenvolvendo no estado e combatendo o cenário crise.

Considerado um dos shoppings mais importantes do Nordeste, o Manaira Shopping de Roberto Santiago conta com a maior área locável entre os centros de compras da Paraíba, com aproximadamente 75 mil metros quadrados. Para Rafaella Barros, gerente de marketing do shopping, o segredo do sucesso do Manaira está na tentativa constante de se reinventar adotada pelo empreendimento, que está sempre buscando trazer mais opções de lazer para o público, através de amostras, eventos e exposições realizadas em sua área multiuso.

Tudo isso tem feito com que a instabilidade econômica atual não cause impactos negativos aos shoppings centers do estado. Para entender melhor essa questão, foi feito um levantamento para medir o grau de confiança dos empresários que trabalham nesse segmento em todo o estado da Paraíba. Através dele, concluiu-se que cerca de 60% dos empresários disseram que o período de crise econômica não impactaria de forma negativa nos seus negócios. Dentre os empresários entrevistados, 40% disseram ainda acreditar que o segmento continuará crescendo em níveis similares ao período que antecedeu a crise.

Natural da cidade de João Pessoa, Roberto Santiago estudou em um dos melhores colégios da capital paraibana, o Marista Pio X. Depois, ele escolheu fazer Administração no Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ), e trabalhou por alguns anos na Café Santa Rosa, até decidir que queria abrir o seu próprio negócio.

Após algumas tentativas, Roberto Santiago escolheu investir na área do loteamento, investimento este que deu certo e foi determinante para que ele se tornasse um dos empresários mais bem-sucedidos do Nordeste. Atualmente, ele é dono de dois shopping centers de grande parte, o Manaira, que conta com mais de 300 lojas, e o Mangabeira Shopping, um empreendimento moderno e espaçoso, situado na zona sul de João Pessoa.