Empreendedorismo corporativo: quem são os profissionais qualificados?

O conceito de empreendedorismo gira em torno de gerir de forma autônoma as próprias habilidades no intuito de obter autorrealização, seja pelo retorno financeiro, seja por se fazer o que gosta. Além da perspectiva pessoal, tal conceito também existe também dentro das organizações, chamado empreendedorismo corporativo, ou também intraempreendedorismo, através do qual um novo perfil de profissional passa a ser procurado.

Trata-se de uma dimensão do empreendedorismo do qual as empresas se utilizam, almejando manterem-se no mercado, contratando pessoas capazes de reinventar processos e manter o negócio sempre em ritmo de inovação. Essas organizações requerem que o profissional mantenha atualizadas constantemente suas técnicas, e desenvolva uma proatividade capaz de agregar inovação, crescimento nos negócios e sustentabilidade organizacional.

Consequentemente, o mercado de trabalho se torna mais exigente com essa nova demanda. Candidatos às vagas precisam se adaptar ao novo perfil demandado, carregando consigo as características que qualificam o perfil empreendedor, quais sejam: inovação, disposição em correr riscos, visão holística, criatividade e, em muitos casos, espírito de liderança.

As empresas estão inseridas em um ambiente de agressiva competitividade e só vence quem faz a diferença. Através de uma pesquisa realizada pelo Instituto de Desenvolvimento de Conteúdo para executivos (IDCE), a Revista Exame fez um levantamento sobre as cinco qualidades dos profissionais mais disputados por empresas, sendo que todas elas compõem o perfil do profissional empreendedor: visão ampla do negócio; tempo e vontade de ir além de suas atividades; atitude; espírito de liderança; e criatividade. Percebeu-se que o conhecimento técnico já não basta mais e o sucesso bate às portas de profissionais que se destacam também pelo comportamento.

Nesse sentido, o desafio do profissional empreendedor pode ser entendido, portanto, como a capacidade de explorar recursos e materiais, novos ou existentes, introduzir ou obter melhor aproveitamento de produtos e serviços, criação de novas formas de organização e otimização de processos e, consequentemente, da organização.

Para que as empresas possam usufruir desse também chamado empreendedorismo corporativo, é necessário investir no ambiente, na renovação estratégica e na exploração de novos negócios. É preciso garantir que os colaboradores estejam motivados a propor suas ideias e também que tenham os recursos necessários para manterem-se qualificados, capacitados e alinhados à realidade do mercado.

Empreendedores são importantes não apenas na criação do negócio, mas também em organizações já consolidadas. Esse perfil é que permite enxergar pontos fortes e aqueles a serem melhorados, buscando minimizar erros e multiplicar resultados favoráveis.

 

Abrindo seu negocio do zero

Quem nunca sonhou em ser seu próprio patrão? A maioria dos brasileiros tem o sonho de ter seu próprio negócio, mas você sabe como abrir seu próprio negocio? Vamos dar três dicas fundamentais para você se preparar para sua nova empreitada e realizar seu sonho de ter seu próprio negocio.

 

Primeiro passo: Planos de negócios

Todo mundo quer ter um negocio para chamar de seu mais o que poucos sabem é que ter seu próprio negocio vai bem além de alugar um ponto e vender algo. Para se tornar um empreendedor de sucesso é preciso elaborar, estudar, planejar, conhecer seu mercado e muitas outras coisas que deverá conhecer e se preparar antes de vender algo. Para isso sugerimos que faça um plano de negócio bem elaborado por você. Um plano de negócios nada mais é do que um estudo sobre a sua ideia de forma aprofundada e que com ela você conseguirá entender seu negocio desde a escolha do nome até as mais complexas tributações. Temos casos de sucessos que não fizeram nenhum planejamento e deram certo, mas acredite que a chance de isso acontecer é igual a de uma pessoa ganhar na mega sena, por isso, se prepare.

 

Segundo passo: Buscando investimento

Uma da parte mais difícil da empreitada é a parte de arranjar capital para a sua empresa ganhar fôlego no começo. Busque investimento primeiramente seus, nada melhor do que não dever nada a ninguém, mas caso não tenha essa condição ou não tenha se preparado para isso foque em investidores. Apesar de não ser fácil conseguir um investidor, são em sua maioria empresas ou grupos de empresários que conhecem os riscos e estão dispostos a perder algum dinheiro caso sua ideia não dê certo, assim você livra-se de possíveis empréstimos e dividas com os bancos. Uma grande ajuda para que consiga algum investimento se dá através do plano de negócios, investidores gostam de sabem para onde o dinheiro deles está indo e você não vai conseguir mostrados isso apenas com um nome legal para sua loja.

 

Terceiro passo: Liderança é tudo

Ao abrir sua empresa com certeza você precisará de ajuda, seja um funcionário, esposa ou um amigo, você precisará lidar dar com a diferença de temperamentos! E é aí que entra o líder, você como chefe não pode mostrar fraqueza, deve ser o porto seguro de seus liderados, saber ouvir e mostrar seus erros. Por isso quando sentir vontade de gritar conte até dez pois caso contrario passará mais tempo entrevistando funcionários do quê ganhando dinheiro de fato.

Seguindo esses passos é trabalhando duro, com toda certeza chegará ao sucesso!

Para saber mais clique aqui.

 

Heads de Claudio Loureiro lidera campanha de combate ao fumo

No dia 29 de agosto, acontece no Brasil o Dia Nacional de Combate ao Fumo, data instituída em 1986 pela lei nº 7488 e que foi criada com a finalidade de conscientizar a população sobre os riscos decorrentes do uso do cigarro. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 200 mil mortes por ano no Brasil são em decorrência do Tabagismo. Em julho de 2015, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou o relatório “A Epidemia Mundial de Tabaco”, que revela que uma pessoa morre de doenças relacionadas ao tabaco a cada seis segundos.

As estatísticas da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam ainda que mais de 5 milhões de mortes acontecem ao redor mundo anualmente, desse total, 30% das mortes por câncer de boca, 90% das mortes por câncer de pulmão, 25% das mortes por doença do coração, 85% das mortes por bronquite e enfisema, e 25% das mortes por derrame cerebral são decorrentes do uso prolongado da nicotina.

A agência de publicidade Heads Propaganda, de Claudio Loureiro, lidera a campanha do Dia Nacional do Combate ao Fumo da UNIMED. Segundo Valéria Lopes, supervisora de Marketing da Unimed Curitiba, a ação tem a intenção de alertar os consumidores do tabaco sobre a diminuição da sensibilidade do paladar. Uma pesquisa realizada pela Universidade Aristóteles, de Salónica, na Grécia, estudou 62 soldados das forças armadas gregas, que tiveram a sensibilidade, o número e formato de suas papilas gustativas medidos. Segundo a análise, ficou comprovado que a nicotina pode causar mudanças funcionais e morfológicas nas papilas gustativas, fazendo com que os sentidos do paladar humano sejam diminuídos.

A campanha da agência Claudio Loureiro, traz diferentes estratégias que devem causar grande impacto no público, em uma delas, feita em parceria com o restaurante Azuki Sabores do Japão, será exibida a esteira do restaurante onde serão servidos pratos com ingredientes requintados e misturas gastronômicas inusitadas. A ideia é mostrar como o tabaco afeta as papilas gustativas e um prato com sabores requintados terá o mesmo sabor de uma gororoba, pois o gosto do cigarro prevalecerá.

Valéria Lopes comenta a abordagem da campanha feita pela agência: “É uma forma diferente de alertar. Mais imediata. Mais marcante. Que o cigarro causa males todos nós já sabemos, mas, mesmo assim, parece que as imagens de um futuro distante não influenciam tanto na decisão dos fumantes. Trouxemos os prejuízos do agora, uma maneira de mostrar que até na fruição dos sabores o cigarro atrapalha”.

De acordo com Claudio Loureiro, o consumidor está mais atento, mais crítico e mais engajado socialmente. O que aponta a necessidade de campanhas que gerem uma maior reflexão no público e consequentemente uma mudança de comportamento. Atualmente, importantes medidas estão sendo adotadas para reduzir o número de usuários, entre elas, proibição do patrocínio de eventos culturais e esportivos pelas companhias de tabaco e a restrição da publicidade do produto em mídias. Outra alternativa encontrada pelo governo é a aplicação da sobretaxa de impostos e o investimento de campanhas publicitárias anti tabaco e leis antifumo.

Claudio Loureiro é sócio-fundador da Heads Propaganda, terceira maior agência de capital 100% nacional e já participou da diretoria das principais entidades de publicidade do país, é membro do capítulo brasileiro do YPO (Young Presidents’ Organization). Além da atividade publicitária, possui projetos e investimentos com alguns CEOs de importantes empresas nacionais.

Já com mais de 25 anos de atuação no mercado, a Heads Propaganda sob a liderança de Claudio Loureiro, aparece como uma das líderes no segmento da publicidade no Brasil. Com quase 200 funcionários, a companhia tem clientes que atuam nos mais diversos setores, com destaque para a Unimed, Caixa Econômica Federal, Caixa Seguradora, Arbor, Boticário, Positivo e Petrobras.

Dados sobre as vendas no comércio em 2016 deixam empreendedores desanimados

Os números relativos às vendas no comércio em um determinado ano são um importante indicador a ser analisado pelos empreendedores desse segmento no momento de planejarem suas estratégias para o decorrer do ano seguinte. Seguindo esse raciocínio, 2017 pode não ser um bom ano para quem quer abrir um negócio ou fortalecer aquele que já possui nesse setor.

Isso porque, segundo dados divulgados no final da primeira quinzena de fevereiro pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2016, as vendas no comércio brasileiro apresentaram o pior resultado dos últimos 15 anos. A queda foi de 6,2%. Desde 2001, quando o instituto deu início à série histórica, este foi o maior recuo nesse índice, que tem muita relevância dentro do balanço anual da economia nacional.

E o cenário é ainda mais desanimador devido ao fato de que 2016 já foi o segundo ano consecutivo em que as vendas no comércio diminuíram. A retração em 2015 foi de 4,3%, o que já foi considerado um número extremamente negativo para o setor.

Levando-se em conta o último mês de 2016, o recuo foi de 2,1 por cento na comparação com novembro do mesmo ano, que havia apresentando uma pequena elevação em relação ao mês anterior (1%). Já quando são confrontados o 12º mês de 2015 e dezembro de 2016, este último apresentou uma diminuição de 4,9% no volume das vendas no comércio.

Analisando os resultados de acordo com as oito atividades que compõem o setor de vendas, é possível perceber que, em 2016, todas apresentaram retração, com destaque para “livros, jornais, revistas e papelaria”, atividade que teve o maior recuo (16,1%). “Móveis e eletrodomésticos” (-12,6%), “equipamentos e material de escritório, informática e comunicação” (-12,3%) e “tecidos, vestuários e calçados” (-10,9%) também tiveram um peso bastante significativo no resultado final das vendas no comércio.

Segundo o que afirmam os economistas, esses números ruins apresentados em 2016 são o reflexo de vários fatores, sendo que, os juros elevados, a inflação e os dados ruins referentes ao mercado de trabalho são os principais. Em relação a este último aspecto, dados divulgados recentemente pela CNC (Confederação Nacional do Comércio) apontaram que o comércio varejista brasileiro, apenas em 2016, fez 182 mil demissões, além de ter fechado quase 109 mil lojas.

Contudo, embora todas essas informações sejam realmente desanimadoras para os empreendedores e tenham influência direta em suas estratégias para 2017, há alguns motivos para que seja criado um cenário um pouco mais otimista.

O fato de a inflação ter terminado 2016 dentro do teto da meta estipulada pelo governo e a diminuição das taxas de juros anunciada pelo Banco Central e por alguns dos principais bancos do país são alguns exemplos nesse sentido. Porém, como o mercado de trabalho ainda está enfrentando grandes adversidades, é necessária muita cautela por parte dos empreendedores no momento de planejarem suas atividades para 2017.

 

 

EMPREENDEDORISMO – uma qualidade indispensável no perfil de um profissional contemporâneo

Falar de empreendedorismo é dizer de um conceito que agrega qualidades indispensáveis à contemporaneidade e é ponto de pauta nos mais sérios debates sobre desenvolvimento econômico.
Já em 1942, o grande economista austríaco Joseph A. Shumpeter já refletia em seus estudos, publicados no livro “Capitalismo, Socialismo e Democracia”, a relação intrínseca entre o que vem a ser um empreendedor e as grandes questões que já envolviam à época o conceito de desenvolvimento econômico.
O espírito empreendedor pode ser erroneamente considerado como “um dom divino”, ou qualidade especial de alguns seres humanos. Na verdade, empreendedorismo é criação e aproveitamento de oportunidades. Envolve o desenvolvimento de habilidades, de qualidades e condições favoráveis para ganhar impulso.
Visão aguçada sobre a realidade, percepção sobre necessidades que pedem soluções inteligentes e acessíveis; dedicação a estudos sobre pontos fracos e fortes de produtos e serviços; criatividade e capacidade de administrar riscos; acesso a créditos, são condições favoráveis para o surgimento de empreendedores que surpreendem o mercado.
Para além de uma postura agressiva na competitividade, empreendedorismo está mais vinculado à compreensão de que nossa relação com o mundo se dá de forma dinâmica, sempre em busca de melhor qualidade de vida.
Um bom empreendedor compreende que a melhoria da qualidade de vida do cidadão não é só resultado do desenvolvimento econômico alcançado, mas condição indispensável para impulsionar o próprio desenvolvimento econômico, porque as pessoas com acesso a produtos e serviços inovadores e de qualidade sentem-se mais felizes e, portanto, mais produtivas naquilo que mais sabem fazer de melhor.
Empreendedorismo requer destemor em desconstruir o velho e dele forjar o novo, ou criar algo totalmente novo, pioneiro e autoral, que se apresente ao mercado como uma esperada solução para velhos e novos dilemas e problemas.
Esta disposição em observar o consumi

dor, seus variados perfis, necessidades e desejos, são o que move a inventividade de um empreendedor de destaque. Ele não se satisfaz apenas em estar plugado com o que dita a tendência. Ele é, antes de tudo, um pesquisador, um criador de tendências, de novos comportamentos de consumo, um desbravador de nichos.
E a pergunta se faz: quais são os negócios mais promissores em que o empreendedor é mais valorizado? A resposta é simples e direta: todos. A necessidade de transformação e desenvolvimento não tem território exclusivo. Vão desde uma iniciativa inovadora no ramo de alimentos ou da gastronomia, a exemplo do primeiro açougue vegano do Estado de São Paulo, até as surpreendentes inovações de empreendedorismo no campo das tecnologias comunicacionais.
O momento pede que empresários já reconhecidos e bem-sucedidos, e aqueles que dão seus primeiros passos, revisem seus conceitos, renovem suas práticas e partam para os novos tempos que o empreendedorismo criativo sempre anuncia.

 

Esclarecimentos sobre a fratura de quadril e seu risco para pessoas idosas, por Dr. Sergio Cortes

A fratura de quadril é considerada o tipo mais austero de lesão óssea, ocorrendo principalmente na região peritrocantérica, podendo ser traumas de grande ou pequena intensidade. É provocada em sua maioria por quedas e forte impacto, danificando a estrutura óssea do quadril e prejudicando a mobilidade das articulações na área, comprometendo em partes ou totalmente a execução de diversas tarefas cotidianas. Reporta o médico ortopedista Dr. Sergio Cortes.

Com alterosa taxa de mortalidade em idosos, a fratura de quadril apresenta um grande risco para indivíduos de idade avançada, sendo que muitos dos casos dessas lesões resultam em óbito. Sendo também responsável por metade das internações em pronto socorro.

Em uma pesquisa realizada entre o mês de outubro de 2007 e o mês de Março de 2009, a qual consistia em avaliar a taxa de mortalidade dentro de um ano em pacientes com fratura de quadril. Foram estudados 202 de 367 pacientes internados no Hospital Cristo Redentor. Relatou-se que a taxa de mortalidade após um ano a partir do diagnóstico foi de 28,7% (58 óbitos), e desse valor, 5,4% (11 óbitos) ocorreram no momento da internação.

A taxa de fraturas foi mais elevada em indivíduos do sexo feminino, sendo 71,3% dos casos, e menos comuns em negros, sendo 5% dos casos. Pessoas diagnosticadas com demência e depressão apresentaram significativa redução de sobrevida, noticia Sergio Cortes.

Sergio Cortes recorda que tais lesões podem ser classificadas como traumáticas, atraumáticas ou motivada por causas idiopáticas.

As lesões traumáticas são extremamente graves, sendo uma das poucas emergências ortopédicas que se tem conhecimento. São provenientes de impactos, traumas regionais, luxações e procedimentos cirúrgicos. O diagnóstico precoce e a redução imediata são extremamente necessários nesses casos.

Já as lesões atraumáticas são provenientes de doenças, como artrose, artrite reumatóide, lúpus eritematosos, doença de Gaucher, entre outros.

O ortopedista Sergio Cortes também relata que a fratura de quadril representa um dos mais prevalentes tipos de lesões nessa área. Podendo ser classificada de acordo com a determinada região anatômica a qual atinge. Podendo ser fraturas do acetábulo: sendo graves e complexas, geralmente ocorrentes em indivíduos politraumatizados e são causadas por forte impacto; fraturas do colo do fêmur: representando 45% das fraturas de quadril. Podendo prejudicar o aporte sanguíneo da cabeça femural, causando necrose; fraturas extracapsulares: ocorrem entre o grande e o pequeno trocânter e também são muito comuns em indivíduos idosos.

Dentre os principais tratamentos noticiados por Sergio Cortes, o tratamento cirúrgico se mostra essencial e apresenta várias técnicas como a fixação de parafusos na área do quadril, haste intramedular e a fixação de parafuso condilar dinâmico. Portanto, a artroplastia, a osteossíntese e a pinagem são os procedimentos cirúrgicos principais no tratamento dos demais quadros de fratura de quadril. Nos casos mais graves, o processo cirúrgico deve ter início o mais rápido possível.

Há também a terapia farmacológica, este procedimento deve ser realizado com bifosfonatos ou calcitonina, cálcio ou suplementos de vitamina D.

Por conta da maioria dos casos serem por quedas e fortes impactos, aconselha-se que indivíduos idosos se mantenham longe de áreas de risco.

Fontes:

http://www.pgsskroton.com.br/seer/index.php/reces/article/view/40

http://pgsskroton-dissertacoes.s3.amazonaws.com/0ea42baf1fc9ba649229ac10b5cf9973.pdf

 

 

 

 

Cuidados com terceira idade geram renda

Uma visão ampla é um fator primordial na vida de qualquer pessoa que deseja tornar-se um empreendedor. Encontrar oportunidades nas necessidades é o primeiro passo para começar um negócio e ter o sucesso almejado com o devido planejamento e execução. Um dos setores que atualmente começa a ser explorado é o das necessidades da terceira idade. Muitas vezes, esse público tem uma demanda que exige cuidados e assim produtos que facilitem e garantam a qualidade de vida que são indispensáveis quando se trata da sua saúde e da sua segurança.

Um dos fatores que contribuem para que exista um interesse de investimento nessa área da terceira idade é a expectativa do aumento de vida. Outro ponto a ser mencionado é o alto custo que se pode ter com os cuidados de um idoso. Mirando nessas oportunidades para gerar uma renda, empresários desenvolveram um monitoramento a distância que pode avisar a família com chamadas telefônicas, caso ocorra algum acidente ou eventualidade com o idoso.

Entre os aparelhos que estão disponíveis no mercado existe uma pulseira que tem um botão de emergência. Quando o botão é acionado faz com que um atendente ligue para o idoso perguntando se tudo está bem, caso ocorra algum acidente, a empresa imediatamente liga para algum familiar. A pulseira além do botão de emergência tem microfone com viva-voz.

Existem vários pacotes no mercado que variam de acordo com o interesse do cliente, entre as empresas que atuam nesse ramo está a 24/7 Care. Essa empresa oferece os seguintes tipos de serviço: a instalação de um equipamento no idoso e o atendimento por telefone conforme as necessidades médicas do idoso, se houver algum fator mais grave alguém da família é contatado para um maior acompanhamento. Esse serviço custa R$ 129,00.

Caso o interessado queira, existe um serviço adicional que inclui detecção de queda que está instalado na pulseira. Se o idoso cair e permanecer imóvel, a pulseira é capaz de detectar o tamanho do impacto da queda e então um atendente liga para a casa do cliente, caso ninguém responda, um parente próximo é contatado para verificar o que aconteceu. O valor desse tipo de atendimento custa R$ 149,00.

Incluindo todos os atendimentos descritos nos planos anteriores, existe a possibilidade de que a ambulância seja chamada sempre que necessário. Para que esse serviço esteja incluído o valor a ser pago é de R$ 179,00. Para aderir a qualquer um dos planos citados uma taxa de R$ 300,00 é cobrada.

Quem criou a empresa 24/7 foi o empresário Danilo Pace de 33 anos, que tem sociedade com o seu amigo Victor Martinelli de 28 anos. A empresa é uma franquia que foi iniciada em novembro do ano passado e já atendeu mais de 100 clientes.

5 Maneiras de ganhar dinheiro pela internet

Um modelo de negócio que está cada vez mais em alta e é o mais novo favorito dos empreendedores, trabalhar em casa usando apenas a internet. Atualmente, existem mais de 3 bilhões de pessoas conectadas na internet, o que é equivalente a 44% da população mundial, ou seja, a internet está presente na vida de muitas pessoas. Além disso, as pessoas hoje em dia passam a maior parte do tempo delas conectadas via um computador ou dispositivo móvel.

Com toda essa mobilidade e possibilidade que há dentro da internet, é possível adotar formas de ganhar dinheiro pela internet no conforto da própria casa. Confira abaixo 5 formas garantidas de ganhar dinheiro usando a internet que está fazendo sucesso em 2017.

  1. Blog de nicho:

Criar um blog de nicho (categoria) específico, por exemplo, blog sobre alimentação saudável para diabéticos. Os blogs que abordam nichos específicos, na maioria dos casos, conseguem mais parcerias, o que facilita a vinculação do blog. Com o blog ativo e bem comentado, é possível vender espaços publicitários para anúncios através de algumas plataformas como o Google Adsense, vender produtos digitais e físicos específicos de programas de afiliados e publicar artigos patrocinados. Um blog bem posicionado nos mecanismos de busca, atraem empresas que querem divulgar produtos em blogs.

  1. E-commerce:

A internet é uma rede tão diversificada que possibilita a venda de todos os tipos de produtos. Existem plataformas que não cobram nada para hospedar um e-commerce ou outras que cobram somente quando o negócio já está rendendo bons lucros, dois grandes exemplos são o Mercado Livre e o Elo 7.

  1. Criação de infoproduto:

Os infoprodutos são produtos digitais como ebooks, vídeo-aulas, palestras, cursos online, consultorias online, entre outros. Existem plataformas de afiliados que oferecem espaço para que os criadores de infoprodutos possam disponibilizar sua criação para afiliados divulgarem. Para criar esses produtos, só é preciso algum conhecimento em algo específico e transformar em um produto para ser vendido por afiliados.

  1. Afiliação de infoprodutos:

Para quem não dispõe da criação de um infoproduto, as mesmas plataformas que aceitam criadores de infoprodutos, também aceitam afiliados para divulgar os mesmos. Trabalhar com infoproduto requer conhecer, assim como todo negócio, seu público-alvo de acordo com o nicho escolhido para afiliação. O afiliado ganha comissão pela venda do produto, portanto, uma boa divulgação estudada para atingir o público específico irá render grandes lucros.

  1. Edição de vídeos:

A grande tendência do momento, exatamente porque hoje em dia as pessoas preferem assistir um vídeo para adquirir uma informação do que parar para ler algum artigo sobre o assunto. Em se tratando disso, é possível afirmar que para quem explora esse mercado terá muito trabalho e consequentemente bastante lucro. Vários youtubers (profissão de quem trabalha com vídeos no youtube) solicitam o trabalho de editores de vídeo muitas vezes por não terem tempo de fazer as edições para postar o vídeo, além de empresas que contratam para a edição de algum vídeo específico e até mesmo pessoas que desejam comprar vídeo montagem para festas de aniversário, noivado, casamento, entre outros.

 

Como se tornar um empreendedor de sucesso como Flavio Maluf

Geralmente pessoas empreendedoras se destacam na sociedade, pois conseguem identificar oportunidades e transformá-las em fontes muitas vezes lucrativas. Empreendedores possuem uma característica muito singular, são inovadores. É um traço comum também a criatividade. Diferenciais que fazem com que algumas pessoas se realcem em meio á multidão. Podemos citar como exemplo o empresário Flavio Maluf. Muitas pessoas almejam chegar aonde Flavio Maluf chegou. Desejam sucesso profissional, desejam ser notadas. Mas o caminho é longo e árduo. O mercado de trabalho brasileiro é competitivo e está cada vez mais acirrado. O Brasil é um país cheio de talentos, em diversas áreas. Desde a construção civil por exemplo até a área de varejo. Nas mais diferentes áreas existem pessoas que se sobressaem. Quem olha tem a impressão que aquela pessoa nasceu com sorte, que tudo conspira ao seu favor. Mas será mesmo só sorte? A sorte pode até contribuir, mas o que importa mesmo é a visão empreendedora que esses indivíduos possuem. Ter visão de mercado é o ponta pé inicial para se tornar um empreendedor. Analisar se aquele produto ou serviço está em alta ou em baixa no mercado e principalmente qual será o diferencial. Pois o mercado de trabalho como já citado se encontra acirrado e ser diferente e oferecer produtos e serviços fora do comum, do básico, pode ser o impulso para uma carreira de prestígio. Pessoas empreendedoras como o grande empresário Flavio Maluf fazem de ideias desacreditadas e até mesmo inusitadas grandes triunfos. A dedicação é outra aliada para quem busca estabilidade profissional. É preciso buscar aprender cada vez mais, buscar se adaptar as necessidades do cliente. É de extrema importância se dedicar ao aperfeiçoamento. Não importando o tempo que isso leve, pois muitas vezes a vitória só virá depois de muita persistência. Flavio Maluf trabalha no grupo Eucatex desde 1987, passando por várias áreas da empresa, até chegar na presidência. Os bons resultados geralmente vêem a longo prazo e saber esperar é uma virtude. Os desafios estarão presentes diariamente, a vontade de desistir será constante, mas é isso que diferencia pessoas empreendedoras de pessoas comuns. Pessoas empreendedoras conseguem resolver conflitos á sua volta e dentro de si mesmos, sabem esperar e durante essa espera mostram todo seu talento. Se tornam grandes ultrapassando as dificuldades. Mostram que a sorte pode até dar uma forcinha, mas que importa mesmo é a vontade de crescer, a vontade de provar os seus limites, a vontade de superar os obstáculos e a vontade de transmitir a todos a sua capacidade, competência, vocação, destreza. Ser empreendedor é enxergar além do que a maioria consegue enxergar. É ser positivo e perseverante. Qualquer um pode ser um empreendedor se quiser ser, basta ter ânsia, desejo. Certamente se Flavio Maluf tivesse desistido perante o primeiro não que levou, perante o primeiro desafio com certeza não estaria hoje entre os nomes mais citados no Brasil, como uma pessoa empreendedora. O sucesso não bate á porta de ninguém esperando ser convidado a entrar, ele precisa ser sonhado e buscado por nós.

É possível investir sem ter dinheiro

A maioria das pessoas acreditam que é preciso ter dinheiro para empreender, o que não é verdade. Empreender é mais que abrir um negócio, existem empreendedores que trabalham com carteira registrada, tem patrão, e cumprem com horário de trabalho, mas que são a diferença dentro da empresa que trabalham. Essa diferença se chama empreendedorismo, que nada mais é do que aquela fonte inesgotável de inovar e arriscar. Sendo assim, o empreendedor está sempre em busca de algo novo e principalmente, de superar obstáculos.

Um desses obstáculos, para quem quer empreender, é o dinheiro para investir. Se o empreendedor é capaz de superar obstáculos, é totalmente aceitável que ele possa empreender sem ter dinheiro, por isso é correto afirmar que de fato, é preciso ter dinheiro para investir, porém, esse dinheiro não precisa ser seu.

O maior exemplo de empreendimentos sem dinheiro são os bancos, que usam o dinheiro das pessoas que depositam neles, para investir em diversos segmentos como, por exemplo: renda fixa. Outros exemplos são os empreendedores que conseguem expor de forma muito atrativa suas ideias e chamam a atenção de grandes investidores que injetam dinheiro para a realização daquela ideia. Grandes empreendedores emergiram dessa forma, um deles o Steve Jobs, que não tinha dinheiro quando começou, mas tinha uma ideia inovadora e mais que isso, conseguiu vender a sua visão de negócio para pessoas que queriam investir.

O fato é que existem muitas pessoas que querem empreender, mas não tem nenhum dinheiro e existem muitas pessoas que também querem empreender, porém, tem tanto dinheiro que não sabem onde investir. Quando esses dois tipos de empreendedores se unem, eles formam uma ponte para a realização da grande ideia. Quem tem muito dinheiro e quer ver seu dinheiro aumentar, procura diferentes tipos de investimentos, como: investir em empresas, rendas fixas, ações de empresas, e ideias que tem alguma perspectiva de dar certo. Por isso, se você tem uma ideia brilhante, sabe que vai dar certo, mas ainda não tem dinheiro para realizar, uma das formas de você fazer esse sonho virar realidade, é vender a sua ideia para aqueles que querem investir.

Existem ainda maneiras de arrecadar dinheiro para o investimento, como conseguindo um empréstimo no banco, ou crédito pessoal, mas todas essas maneiras tem os seus contras em comum, que são a alta taxa de juros. Por isso, vender parte do seu projeto para um investidor, é sem dúvida a melhor maneira de empreender para quem não tem dinheiro para investir. E para que o investidor se convença de investir em seu projeto, ele irá avaliar se a sua ideia realmente tem chances de dar certo e se você tem capacidade de colocar aquele plano em pratica. Para grandes ideias e para pessoas que tem capacidade para colocá-las em ação, sempre irá existir a possibilidade de empreender mesmo sem dinheiro algum.

Veja também 5 dicas para encontrar um investidor para o seu projeto.